Archive for Dezembro 2012

I Encontro Edelman Significa

No Comments »


O I Encontro Edelman Significa com blogueiros e especialistas de comunicação aconteceu na última semana de novembro na sede da agência, em São Paulo. Durante uma manhã, foram discutidas questões comuns aos participantes – os desafios das marcas para engajarem seus públicos em um mundo em rápida transformação, no qual as conversas estão fragmentadas e o indivíduo tem cada vez mais poder. Estiveram presentes Lívia Santos e Pedro Prochno, do Blog Relações, Maria Aparecida Ferrari, professora pesquisadora do departamento de Relações Públicas da Universidade de São Paulo, Rodrigo Capella, editor do blog PR Interview e professor nas universidades Anhanguera e UNA BH e Ricardo Saldanha, presidente do Instituo Intranet Portal e Colunista no HSM Blog/Update or Die. Pela agência, participaram Yacoff Sarkovas, CEO, Rodolfo Araújo, líder do núcleo de conhecimento e inovação, Fábio Siqueira, da área Digital e Luisa Lima, assessora de comunicação.

A diversidade de competências e especialidades levou a uma conversa rica. Entre os principais tópicos, foram discutidos os seguintes tópicos:

O papel da marca para além das transações comerciais ao figurar como principal simbologia cultural de uma empresa e sua oferta, sendo o ponto de partida para a construção de relacionamentos;

  • A função da comunicação neste contexto;
  • A contribuição e relevância das mídias digitais e o valor estratégico dos outros meios;
  • Os desafios de mensuração: como transpor a lógica quantitativa e avaliar a qualidade das relações?
  • A formação dos novos profissionais de comunicação e a contribuição atual do meio acadêmico.


Compartilhar valor por meio da produção e compartilhamento de conhecimento já é parte do jeito de ser da Edelman globalmente. Por meio da elaboração de estudos, artigos, participação em eventos e de encontros como esses, acreditamos que nos atualizamos e contribuímos para o desenvolvimento do setor de comunicação. Nós, da Edelman Significa, também acreditamos no valor destas iniciativas, que serão cada vez mais frequentes.

Veja no vídeo abaixo os melhores momentos do encontro:



Persona grata. Sim o Coxinha Ilustrada é bem vindo!

post em resposta à  Coxinha Ilustrada: persona non grata

Persona grata. Sim o Coxinha Ilustrada é bem vindo na reconhecida Panificadora e Confeitaria, aqui em Foz do Iguaçu, que antes chamávamos de X, mas a repercussão nas mídias sociais foi tamanha que o nome veio a tona: Famiglia Maran Confeitaria e Panificadora.

Há pouco (10/12 às 11h39min) falei ao celular com o proprietário da Famiglia Maran Confeitaria e Panificadora, o Sr. Jefferson Rafain Maran. Extremamente solícito e gentil, desculpou-se por todo e qualquer constrangimento que o fato ocorrido (Coxinha Ilustrada: persona non grata) tenha causado aos integrantes do grupo.

Mesmo fora do país, soube dos compartilhamentos via redes sociais e do quão frágil a imagem de sua empresa tornou-se. Segundo ele, há 20 anos emprega o nome de sua família em seus negócios e não pode permitir que a postura incorreta de membros de sua equipe deturpem a imagem da Famiglia Maran Confeitaria e Panificadora, tampouco, a identidade que vem sendo construída ao longo de anos.

O bacana da postura desse empresário foi reconhecer o erro de sua equipe, desculpar-se em nome dela e se dispor a reconstruir uma relação mais sólida e confortável, colocando-se acessível aos membros do Coxinha Ilustrada para planejar melhor os próximos encontros.

Não bastasse isso, há também o reconhecimento da necessidade de melhor treinar sua equipe para atender públicos diversos, além de abrir canais de avaliação e monitoramento da qualidade no atendimento. 

"Bom dia , sou o proprietario da Famiglia Maran. Com surpresa e tristeza recebi este Feedback. Em primeiro lugar, eu gostaria de agradecer ao autor deste relato. Atitudes como essa nos ajudam a monitorar nossas atitudes e nos ajuda a encontrar nossas falhas e fazer o possível para corrigi-las. Nós sempre tentamos fazer o nosso melhor mas, infelizmente perdemos o controle de uma situação. Assim que recebi este feedback muito importante, já tomei providências corretivas. estamos dando ainda mais ênfase ao treinamento de nossos colaboradores para que eles possam dar o atendimento carinhoso que leva o nome da nossa Famiglia.
Gostaria também de convidar o autor do Feedback e seus amigos para fazer uma nova visita à Famiglia Maran daqui uns dias e avaliar se tivemos sucesso na reciclagem do treinamento de nossa equipe.
Atender com carinho, oferecer produtos de alta qualidade e muito saborosos são nossos objetivos. Trabalhamos incansavelmente, 24 horas por dia, buscando satisfazer cada um de nossos clientes. Agora, estamos todos empenhados em resolver essa situação desagradável que nunca teria minha aprovação.
Agradecido pela atenção,"
Jefferson R. Maran (publicado no grupo Social Media Foz do Iguaçu).

Cabe aqui, nós membros do Coxinha Ilustrada, reconhecermos a atitude do empresário - são raríssimos aqueles que vem a público pedir desculpas em nome de sua empresa, normalmente sequer reconhecem os erros. Ocorreu sim um fato lamentável, conseguimos a visibilidade que buscávamos e obviamente as relações foram estremecidas.

Contudo, as partes estão abertas a refazer seus laços. Afinal é por isso que provocamos a controvérsia, as discussões. Acredito no empoderamento por meio da comunicação, acredito na educação por meio da comunicação, acredito na mobilização social por meio da comunicação e acredito na transformação por meio da comunicação. Mas também penso que a comunicação só será como eu acredito se houver controvérsia, afinal, segundo Roberto Crema, "Ninguém muda ninguém, ninguém muda sozinho, nos mudamos nos encontros. [...] Somos transformados a partir dos encontros...".

O alerta ainda é válido àqueles empresários que se debruçam em planos de mídia e altos orçamentos para firmar seu posicionamento no mercado: a consolidação da imagem e da identidade corporativa, os problemas de relacionamento com o público-alvo ou as soluções para eles podem estar dentro de sua empresa ou em sua equipe, basta que seja vista.

Coxinha Ilustrada: persona non grata

Persona non grata (Latim, no plural: personae non gratae), cujo significado literal é "pessoa não bem-vinda", é um termo utilizado em diplomacia com um significado especializado e judicialmente definido.

Sob a Convenção de Viena sobre as Relações Diplomáticas, artigo 9, um Estado pode declarar "em qualquer altura e sem necessidade de justificação" qualquer membro dos emissários diplomatas como persona non grata — i.e., não aceite (enquanto que persona grata significaria aceitável) — mesmo previamente à sua chegada ao Estado em questão. Geralmente, a pessoa é recambiada para a sua nação de origem. Caso isso não aconteça, o Estado "poderá recusar-se a reconhecer a pessoa como membro da missão".

Fora do âmbito da diplomacia, chamar alguém de persona non grata é equivalente a dizer que a pessoa está excluída, isolada, desprezada. Aquela pessoa não é bem vinda.

Bem, ontem (sábado, 08/12/2012) foi a ultima edição do Coxinha Ilustrada. O Coxinha Ilustrada é um encontro de ilustradores, talentosos ou não (não iremos discutir isso aqui rsrsrs), que produzem ou curtem a ilustração. Desenhos, tirinhas, animações, design, artes visuais, peças publicitárias, ambientes gráficos e jogos, quadrinhos, etc, etc, etc... 

Mas, não é só para ou por eles que este encontro acontece. No Coxinha Ilustrada reúnem-se pessoas do design, da informática, da comunicação, da moda, escritores e leitores, nerds e geeks, assumidos e enrustidos, sedentários, hiperativos e hiperbólicos, brancos, pretos, azuis e até esverdeados, artistas natos, aspirantes e admiradores, jovens senhores, garotos barbados, pin-ups e crianças imberbes. 

Sim, eu poderia ficar horas descrevendo a pluralidade desde grupo, o qual se reúne por afinidade: discutir desde as emocionantes aventuras de Backyardigans e O Fantástico Mundo de Bobby, passando pela filosofia do último episódio dOs Simpsons e os surtos do Pica-Pau, até o posicionamento estratégico da comunicação e representações icônicas das organizações perante seus públicos-alvo. Complexo, não?

Tudo isso permeado por muitas risadas, aguadas de nanquim, grafites, notebooks, sketchbooks, folhas de cadernos, contos fantásticos, livros, revistas, quadrinhos, séries de TV, trilogias, thrillers, muita Coca-Cola e, claro, COXINHAS – várias coxinhas.

Bom, agora que já sabemos o que significa "persona non grata" e o que é o "Coxinha Ilustrada" inicio meu post. Por que "persona non grata"?

O Coxinha Ilustrada acontece numa reconhecida Panificadora e Confeitaria em Foz do Iguaçu, PR – vou chamá-la de "X". Um lugar bacana com cardápio legal, ar condicionado, espaçoso, bem iluminado, muito bem localizado, acesso à Internet, etc. Enfim, um lugar ideal para reunir gente boa a fim de realizar boas coisas. Só que não!

Ontem, no fatídico dia, fomos convidados a nos retirarmos do ambiente, sob a justificativa de que ocupávamos muito espaço e consumíamos pouco. A relação "ocupação espacial" versus "volume de pessoas" é algo que não consigo contrariar, já que há questões metafísicas que me impediriam de tal feito. Afinal, se somos muitos ocupamos muitos espaços. Certo? Quanto à questão "baixo consumo", conforme o art. 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), nenhum fornecedor pode impor limites quantitativos de consumo aos seus clientes, portanto, também não irei discutir esse ponto, ok?

Afinal Robson, quais pontos você quer expor neste post? Quero falar de relacionamentos aproximativos e oportunidades estratégicas jogadas ralo abaixo. Bora lá?

Uma vez ao mês o Coxinha Ilustrada é realizado. Somos um grupo rotativo, nem sempre todos os participantes estão todos juntos. Creio que no total somamos umas 40 pessoas, aproximadamente, que se revezam entre idas e vindas, discussões e coxinhas em agrupamentos menores de 10 ou 20 pessoas.

Numa conta simplista, somando a cada pessoa dois novos acompanhantes teríamos 120 pessoas. Pessoas essas que seriam levadas por indicação, para que conhecessem o cardápio, o espaço, o atendimento, etc. Estamos falando de experimentação. Cento e vinte potenciais clientes angariados de forma passiva, já que foram levados pelo encontro Coxinha Ilustrada.

Mesmo que pequena, temos aqui uma rede de consumidores cujo custo para sua arquitetura foi inexistente ou bastante baixo, além do que, se mantivermos o raciocínio de que para cada pessoa dois novos acompanhantes seriam levados, essa rede poderia se expandir em progressão geométrica de razão dois, certo? Caberia, portanto, ao empresário tão somente fidelizá-los.

Não bastasse isso, dentre a pluralidade do grupo Coxinha Ilustrada, 80% (senão mais) são profissionais vinculados às agências de comunicação da região, atuantes no Parque Tecnológico, jovens empresários, profissionais de grandes instituições públicas e organizações privadas, ativistas dos movimentos culturais e de ações desenvolvidas pelas associações da cidade, enfim, pessoas diretamente vinculadas às mídias locais, formação de opinião e mobilização da opinião pública.

Isso significa que a atitude da Panificadora e Confeitaria "X", declarando o Coxinha Ilustrada como "persona non grata", além de inviabilizar a formação de uma rede de consumidores, deturpou sua própria imagem frente a um grupo formador de opinião. O movimento da empresa foi exatamente contrário às estratégias de relacionamento aproximativo. O mutualismo era um fato, bastava boa vontade. Nós já estávamos lá e ao invés de sermos convidados a compor a estratégia de posicionamento da empresa, fomos convidados a sair dela.

Muitas empresas investem altas quantias em ações de comunicação e marketing para captação de clientes, experimentação em PDV, fidelização e construção de relacionamentos com formadores de opinião. A postura adotada pela Panificadora e Confeitaria "X", a mim, mostra-se estrategicamente míope senão kamikaze.

Embora a narrativa do post seja de desabafo frente a uma situação constrangedora vivida por nós, o alerta aqui vale para os empresários que se debruçam em planos de mídia e altos orçamentos para consolidar sua imagem e identidade no mercado. Por vezes, a diferenciação estratégica já está no seu estabelecimento empresarial, basta que seja vista, valorizada e empoderada.

Obs.: Optou-se por omitir o nome da Panificadora e Confeitaria para evitar qualquer constrangimento. Acreditamos que seremos procurados para revermos o local dos nossos próximos encontros, se não por ela, por outros empresários de Foz do Iguaçu.

Dia Nacional das Relações Públicas

No Comments »

Hoje, 2 de dezembro, comemora-se a data anual das Relações Públicas no Brasil - uma homenagem a todos os profissionais da área - estabelecida na data de nascimento de seu pioneiro Eduardo Pinheiro Lobo (em 1876), titular do primeiro departamento de RP instalado no Brasil - o da Light, em 1914.

Para o Conselho Regional de Profissionais de Relações Pùblicas, o profissional de RP tem como objeto essencial de trabalho a gestão da comunicação organizacional. Ele é capacitado para orientar a alta direção da empresa na formulação das políticas e estratégias de comunicação organizacional com o objetivo de criar e manter o conceito positivo da marca da organização, formando uma opinião pública favorável e alcançando a boa vontade de seus públicos em relação aos seus negócios. Para tanto, planeja, implanta, coordena e avalia programas de comunicação e de integração institucional, pesquisas de opinião, organiza eventos dentro de um plano global de comunicação, sempre atento ao equilíbrio entre a cultura organizacional e as novas tecnologias. O planejamento de relações públicas de uma organização – seja ela pública ou privada – deve ter como objetivo básico a identificação dos seus públicos estratégicos e a adequação da mensagem e do discurso organizacionais. A partir disto, são definidas as estratégias de comunicação específicas com cada um desses públicos, estabelecendo um relacionamento harmonioso entre eles e a organização - sempre voltado ao fortalecimento de sua imagem organizacional como diferencial competitivo.

Para o pessoal da TODO MUNDO RP



Para nós do Ser.RP, Relações Públicas é pensar e expressar a comunicação estrategicamente, é utilizar a comunicação de forma planejada em prol do desenvolvimento organizacional e coerente aos objetivos e ao bem estar dos seus públicos. Ser RP é disponibilizar meios, constituir redes e efetivar fluxos comunicacionais. É mudar comportamentos. Nós acreditamos no empoderamento por meio da comunicação, acreditamos na educação por meio da comunicação, acreditamos na mobilização por meio da comunicação e acreditamos na transformação por meio da comunicação. Mas também, acreditamos que a comunicação só será como acreditamos ser, se houver "atrito", afinal "[...] ninguém muda ninguém, ninguém muda sozinho, nos mudamos nos encontros. [...] Somos transformados a partir dos encontros [...]" (Roberto Crema), a partir das relações.

E você em que acredita? O que são Relações Públicas para você?