Comunicação


A civilização apenas existe com base na comunicação, a sentença “tudo é comunicação” faz-se irrefutável.


Ao longo dos anos, com a globalização, é possível verificar transformações ocorridas em toda sociedade, o individuo torna-se cada vez mais consciente de seu papel e mais participativo.
Estas mudanças interferem diretamente no dia-a-dia das organizações, uma vez que são feitas por pessoas e para pessoas – tais alteram os processos administrativos e as formas de relacionamento com os públicos.

A importância atribuída às formas de comunicação vem crescendo gradativamente no âmbito empresarial. As organizações estão reconhecendo a influência de sua imagem – como ela é vista – e identidade – como ela realmente é – perante os públicos e o papel da comunicação em sua formatação. A reputação empresarial ganha espaço como diferencial competitivo.

Esta relação empresa-públicos fundamenta-se sob duas óticas: os objetivos e propósitos da organização e daqueles com os quais ela se relaciona – é o somatório das percepções, anseios e desejos do indivíduo em si mesmo e do indivíduo enquanto grupo. Assim sendo, as variáveis que o sustentam (personalidade, motivação, liderança e satisfação) formatam as mobilizações e atitudes, pró-ativas ou reativas. Isso implica que a comunicação, eficiente e eficazmente aplicada e desenvolvida, garante a ambas as partes (organização e públicos) a boa vontade e o comprometimento.

Com uma base sólida, proporcionada pela comunicação, é possível um trabalho direcionado, objetivando a criação de uma imagem positiva perante os públicos. Propõe-se por meio da comunicação o alinhamento da imagem, da identidade ao discurso e à personalidade, buscando, desta forma, a construção da credibilidade organizacional. Uma empresa, com a identidade alinhada ao seu discurso, disporá uma imagem positiva perante todos aqueles com quem mantém relação, possibilitando assim, solidez da reputação.

Essa arquitetura corporativa está relacionada à necessidade de legitimação da organização em relação ao seu ambiente de atuação, quer seja interno ou externo; a legitimidade é um status conferido à organização quando seus públicos chancelam e dão suporte aos seus objetivos e às suas atividades.

O funcionamento e sucesso de uma empresa dependem diretamente da qualidade dos programas comunicacionais desenvolvidos tanto internamente quanto externamente, atrelados ao Planejamento Estratégico organizacional.


Juliano Augusto Melo
Ramon Fernandes Lourenço
Robson Carvalho Turcato
Relações Públicas - UEL

This entry was posted on quarta-feira, 22 de agosto de 2007 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

One Response to “Comunicação”

ser.RP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.