O fator evento na vida de um profissional de Relações Públicas










Difícil discutir Relações Públicas sem mencionar a palavra evento. Lembro-me que na época da faculdade era um dos principais termos em discussão e suscitava calorosos debates acerca do tema. Muitos chegavam a dizer, inclusive eu (admito o erro, fiquei até vermelho quando escrevi esta confissão), que não era necessário o aprofundamento dos estudos na área, pois não enveredariam na seara deste campo de nossa profissão.

Etiqueta, protocolo e cerimonial, uma tríade que chega a causar tremor só de pensar nas dificuldades de, principalmente, como colocá-las em prática. Muitos autores já nos fizeram o favor de conceituar essas três palavras. A questão não é o conceito, mas toda a gama de regras que elas englobam e que definem os acontecimentos de um evento, como qual a precedência correta, quem deve discursar primeiro, entre vários outros pontos.

Pensando estar livre desse mar de dúvidas ao final da faculdade, ingressei no mundo corporativo. E, qual foi uma das minhas primeiras tarefas? Escrever o cerimonial de um evento com a participação do presidente da empresa, diretores e gerentes.

Dá-lhe Google em busca de informações!

Ainda bem que guardei boa parte do material da faculdade. E, melhor ainda. Trouxe quase tudo comigo quando me mudei de Londrina para São Paulo.

Para quem pretende entrar em uma faculdade para cursar Relações Públicas, ou para aqueles que já estão cursando ou estão prestes a ingressar no mundo profissional, fica a dica: não menosprezem os conhecimentos sobre o tal “evento”. Algum dia você terá que organizar um ou terá grandes responsabilidades sobre o sucesso dele.

Eventos no Brasil
Para se ter uma ideia da importância deste setor, a Associação Brasileira de Empresas de Eventos divulgou uma nota referente a “Pesquisa sobre impacto econômico dos eventos internacionais no Brasil 2007/2008”, realizada pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do Ministério do Turismo e da Embratur. O estudo foi realizado entre os meses de dezembro de 2007 e dezembro de 2008, englobando 36 eventos internacionais realizados nas principais cidades do Brasil, sendo Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Salvador, Porto Alegre, Curitiba e Foz do Iguaçu.

O setor tem movimentado o turismo brasileiro e atraído um grande número de visitantes. Aproximadamente 66% das pessoas que viajaram ao país pela primeira vez, vieram em decorrência de algum evento como congressos, seminários, workshops e colóquios. Essas pessoas gastam em média US$ 285,10 em cerca de 6,8 dias. Além disso, o Brasil está entre os dez maiores países em número de eventos internacionais pelo terceiro ano consecutivo. Em 2008, ficou em sétimo lugar, contra a 8ª colocação de 2007. No ranking de cidades, São Paulo foi o destino que mais recebeu eventos nas Américas, em 2008, e a 12ª cidade no mundo. E aí, já afiou o seu inglês? Vai continuar pensando que evento não é a sua praia?




Juliano Melo.

This entry was posted on segunda-feira, 19 de abril de 2010 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

3 Responses to “O fator evento na vida de um profissional de Relações Públicas”

Ramon disse...

Não é que é verdade...por mais que tentamos correr disto na graduação, caimos de cara ao ter de organizar eventos, mesmo não gostando.

Acredito que nosso problema com eventos vem muito do preconceito que tínhamos na faculdade, combatendo aquele estigma de que RP é organizador de eventos!! Revoltadinhos como éramos, esse era nosso jeito de dizer que RP é muito mais que isso!!

Belo artigo Juliano....

uniRP disse...

Realmente, não devemos subestimar toda a sistemática que envolve um evento, por menos que ele seja! No nosso blog, inclusive, o último post fala sobre o bate papo que tivemos com as relações públicas da câmara municipal de vereadores de Porto Alegre. E uma das coisas que elas falam é sobre isso, do quão difícil pode ser a organização de um evento se não há um planejamento, e a aplicação das devidas técnicas e dos devidos conhecimentos necessários a esta prática!

Abraço,
Juliana - uniRP (http://unirp.blogspot.com)

ser.RP... disse...

Olá Juliana. Obrigado pela visita e pelo comentário. O comentário do Ramon resume muito do que acontece. Também não adianta fugirmos do mundo do evento. Sempre teremos que abraçar algum. Agradeço a todos pelos comentários.