Empresas invadem o universo do Twitter e movimentam milhões




Marina Morena Costa, repórter do Último Segundo


No último ano, os internautas brasileiros descobriram o potencial do Twitter. Seja para acompanhar as novidades de seu famoso favorito, receber notícias em primeira mão – a morte de Michael Jackson se espalhou em minutos pelo mundo graças ao microblog – ou até mesmo fazer campanha pela saída de um certo senador do Congresso, a ferramenta caiu nas graças dos internautas. E agora chegou a vez das empresas invadirem o universo twitteiro, oferecendo promoções-relâmpago, cursos, informações ou mesmo um canal de comunicação direta com o cliente.

A fabricante de computadores Dell, por exemplo, é acompanhada por quase 1 milhão de pessoas no Twitter. No primeiro semestre deste ano, o lucro da DellOutlet (perfil voltado ao público norte-americano) chegou a US$ 1 milhão – soma que a empresa havia levado 18 meses para atingir anteriormente. Desde que colocou seu perfil no Twitter, a empresa calcula ter lucrado US$ 3 milhões em vendas realizadas a partir de links postados no microblog.

A fabricante de computadores Dell é seguida no Twitter por quase 1 milhão de pessoas
No Brasil, a agência de publicidade Frog, que monitora mensalmente a presença de 180 marcas em mídias sociais, registrou um crescimento de 155% no número de citações de empresas no Twitter, entre os meses de janeiro a maio de 2009. “As pessoas comentam de maneira espontânea sobre marcas, produtos, empresas e serviços no Twitter. Isso acontece, queiram as empresas ou não. É um reflexo do boca a boca elevado à enésima potência”, afirma Daniel Deivisson, diretor de novos negócios da carioca Frog.

Apesar de ainda abranger um universo reduzido – um em cada 10 internautas brasileiros visitam o Twitter, segundo o Ibope – o perfil do usuário interessa às empresas: pessoas com maior grau de instrução, mais velhas, com alto poder de consumo e de formação de opinião. Ao seguir esse perfil de consumidor, é possível conhecer o que eles pensam, o que gostam, o que não gostam, e talvez o mais interessante para as estratégias de marketing: como influenciá-los.

Daniel Deivisson, da Frog“As redes sociais como o Twitter mudam um pouco o conceito de publicidade, de comunicação, pois elas permitem entender o público antes de buscar uma oportunidade. Você conhece o seu consumidor antes mesmo de fazer uma campanha”, ressalta Deivisson.

Perfil do Twitteiro
Uma pesquisa da agência de publicidade Bullet realizada em abril deste ano, com 3.268 usuários brasileiros do Twitter, mapeou o perfil deste público. De acordo com o levantamento, homens são a maioria (61%), têm entre 21 e 30 anos, são solteiros, estudantes do Ensino Superior ou formados na universidade, dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Costumam passar quase 50 horas semanais conectados, e utilizam outras ferramentas como Orkut, Youtube e Facebook, além de frequentar vários blogs.

Entre os entrevistados, 53,6% acham interessante ações publicitárias no Twitter, desde que tenham relevância. Mais da metade (51%) nunca participou de ações promocionais na ferramenta, porém tem interesse no assunto. Outros 33% responderam que já participaram de algum tipo de ação publicitária no Twitter. Cerca de 70% seguem ou já seguiram perfis de empresas, eventos ou campanhas publicitárias.

“No Twitter, a marca não pode parecer um robô, e sim o mais humana possível”

Bruna Calheiros, responsável pela pesquisa e pela área de Presença Digital da Bullet, acredita que os usuários do Twitter buscam um contato diferenciado com as empresas. “O Twitter aproxima a marca de seus clientes e clientes potenciais”, analisa. Por este motivo, na avaliação de Bruna, publicações automatizadas podem afastar seguidores. “É interessante que a marca não pareça um ‘robô’ e sim o mais humana possível.”

Em uma ferramenta na qual velocidade e imediatismo são os pontos fortes, a prestação de serviço deve seguir os mesmos parâmetros. “O Twitter é muito focado no ‘real time’. As pessoas querem prestação de serviços. Promoções, informações relevantes em primeira mão e entregues de uma forma criativa, que surpreenda”, destaca Deivisson. Para o publicitário, os usuários precisam ter interesse em manter a relação com as empresas. “Como o Twitter está na moda, as pessoas podem seguir durante um tempo a empresa, e depois desistir da relação.”

Bruna acredita que a mistura entre informação e ofertas seja mais eficiente para atrair seguidores. “Ainda não existe – e não vai existir – uma fórmula mágica para atuar no Twitter. Há casos de sucesso de twitters corporativos, como o da Dell americana ou o do Submarino no Brasil (com 25,6 mil seguidores), que focam na divulgação de promoções e descontos. Mas considero que um meio termo seja mais interessante”, afirma.

“Se o consumidor se sentir invadido,a relação que era para ser boa pode se tornar uma ameaça”No entanto, as empresas também precisam ter cuidado com o potencial negativo do Twitter: “Tem que desenvolver uma estratégia para não ser evasivo. Se o consumidor se sentir invadido, ou de alguma forma lesado, a relação que era para ser boa, pode se tornar uma ameaça”, destaca Deivisson. “O boca a boca nas redes sociais tem potencial matador, porque um consumidor insatisfeito influencia pessoas que sequer conhece”, completa.



Siga o Ser.RP no Twitter. Clique na imagem:






This entry was posted on sábado, 8 de agosto de 2009 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

2 Responses to “Empresas invadem o universo do Twitter e movimentam milhões”

A Bordo disse...

Em três anos o twitter surgiu omo um fenômeno, ele é muito simples, não exige mão-de-obra especializada, além de ser rápido interativo e gratuito, por isso que passa a ser utilizado na comunicação das empresas, pois melhora seu posicionamento nos sites de busca.
Eu sou apaixonada pela twitter, não somente por ele, mas pela internet em si.

Abraços,
Cibele
(A Bordo)

Comunidade RP Brasil disse...

A tecnologia tem provocado profundas modificações diversas para a área de comunicação. As empresas não podem desprezar tais mudanças. Ao contrário, devem buscar os novos canais e instrumentos de comunicação disponíveis, para estreitar estrategicamente o relacionamento com seus públicos. O twitter, a cada dia que se passa, ganhar uma força imensa no ciberespaço. Utilizá-lo dentro do composto de um planejamento de comunicação pode ser altamente favorável ao sucesso do planejamento.

Ótimo post!

Danielly Pontes
www.comunidaderpbrasil.blogspot.com